Descoberto causador da Peste Negra, Peste de Londres e a Praga Justiniana


Pela primeira vez, os cientistas reconstruiu com sucesso o genoma do patógeno Yersinia pestis que causou a Praga Justiniana,  uma pandemia devastadora e generalizada que matou mais de 50 milhões de pessoas no século 6º.

Se esse patógeno parece familiar para você, é porque foi o responsável por mais duas pragas que alteram a história – a Peste Negra e a Peste de Londres. Agora que o seu genoma é finalmente desvendado, podemos obter uma melhor compreensão da bactéria mortal que devastou populações inteiras por mais de um milênio.

A Praga justiniana surgiu em torno de 541 AD no Império Bizantino, matando cerca de 50 milhões de pessoas.

A Peste Negra -, provavelmente, a praga mais conhecida – ocorreu na Europa, em meados dos anos 1300 e matou cerca de 200 milhões de pessoas. De Londres a Grande Peste , o mais recente dos três, eclodiu em meados de 1600, matando 100.000 pessoas (um quarto da população de Londres).

A Peste Negra

Enquanto estas três pragas todos tinham sintomas diferentes, foram espalhados de forma diferente, e infectou diferentes quantidades de pessoas, porém há um fator comum: todos eles foram causados por Y. pestis em diferentes estágios evolutivos .

Finalmente ter o genoma sequenciado completa ajudará a explicar como Y.pestis evoluíram ao longo de milhares de anos, devastando a humanidade com uma série de pragas mortais. Com um estudo mais aprofundado, a equipe pode ser capaz de montar uma linha do tempo mostrando a evolução da praga com diferentes genomas.

Enquanto a compreensão da história evolutiva da praga é importante, o novo genoma também podem ajudar os pesquisadores a mitigar os efeitos de uma praga no futuro, o que é algo que a maioria de nós não se preocupamos, mas – historicamente falando –  talvez devêssemos.

Fonte: [Science Alert]

Anterior Mitos sobre os dinossauros
Próximo Cientistas descobrem o que produz raios vulcânicos